REVERSÃO NA POLÍTICA DOS EUA JÁ CAUSA EFEITOS EM CUBA

16 Jun 2017 ANTONIO EURYCO Internacional Nenhum comentário

A ilha caribenha é hoje o único destino do planeta para onde os cidadãos norteamericanos não têm permissão para ir e vir livremente

A tomada da aguardada decisão que contraria a maioria aconteceu mesmo nesta sexta (15), com Trump mostrando impedimentos para reverter parcialmente algumas das politicas de Obama em relação a Cuba

O que Obama e Raul Castro fixaram como o mais importante ato entre EUA e Cuba, Trump já conseguiu destruir

Viajar para Cuba será bem mais difícil para os cidadãos norte-americanos. O turismo para a ilha segue proibido e as restrições de viagem deverão ser mais fortemente aplicadas.  Embora não corte completamente os laços trabalhados, Trump procurou parar o fluxo de dinheiro americano para os serviços militares, de segurança e de inteligência de Cuba.

Manifestações contrárias foram inúmeras.  A Câmara de Comércio dos EUA  através do seu vice-presidente executivo e diretor dos assuntos internacionais, Myron Brilliant emitiu declaração  afirmando que "o engajamento do setor privado dos EUA pode ser uma força positiva para o tipo de mudança que todos desejamos ver em Cuba. Infelizmente, os  anúncios de hoje realmente limitam a possibilidade de mudanças positivas na ilha e arriscam-se a obter oportunidades de crescimento para outros países. Continuaremos empenhados em trabalhar com todas as partes relevantes para remover as políticas antiquadas que impedem o bom relacionamento entre norteamericanos e cubanos ".

Com a utilização das categorias aprovadas anteriormente, operadores turísticos poderão continuar a levar os americanos a visitar Cuba em pequenos grupos e de forma legal até  que venha uma nova posição governamental. 

Inumeros operadores manifestaram seu descrédito em relação à politica hoje anunciada. Alguns seguirão em suas ofertas oferecendo passeios para grupos reduzidos, em roteiros imersivos de oito dias, ou finais de semana em Havana de cinco dias.

Sob o plano de Trump, as companhias aéreas e as linhas de cruzeiros ainda terão permissão para voar e navegar para Cuba.

A Carnival foi uma das primeiras a se manifestar. "Vamos rever a extensão das regras de viagem, mas nossos clientes já viajaram sob as 12 formas aprovadas para Cuba desde que realizamos nosso primeiro cruzeiro histórico há mais de um ano". A operadora marítima pretende continuar com os planos para suas subsidiárias.

A política proposta pela Trump poderá sufocar o desenvolvimento hoteleiro na ilha e proibir os americanos de ficar em hotéis com vínculos com o governo cubano. 

 

 

 


Compartilhe nas redes sociais



Nenhum comentário


    Gostaria de deixar sua opnião ou comentário?

    Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios com asterisco *

    RECEBA MENSALMENTE SUA TRAVEL 3

    ASSINE AGORA

    Instagram Travel3

    Confira no Instagram